Histórias

A melhor decisão da minha vida - Maria Penha

 

No decorrer desse ano, construímos uma empresa desde o zero: produto, business plan, parcerias, marketing… Em poucos meses, aprendemos mais sobre o funcionamento de uma empresa do que em dois anos de aulas teóricas sobre o assunto. Fomos selecionadas para participar em duas competições, uma em Lisboa e outra no Porto. Lembro-me bem do entusiasmo que sentimos! Foi a primeira vez que percebi que, de facto, quando nos esforçamos a sério, somos recompensados pelo nosso trabalho.

Como andávamos numa escola pública, não tínhamos qualquer tipo de financiamento, por isso tivemos que “dar asas” à nossa mente empreendedora e decidimos vender bolos nos intervalos das aulas para angariar algum dinheiro, que depois foi utilizado para decorar os nossos stands nas tais competições.

A verdade é que nunca ganhámos nenhuma competição. Mas a quantidade de lições que aprendemos durante esse ano valeram muito mais do que qualquer prémio material! A nível profissional, aprendemos não perdemos nada em tentar. Muitas vezes temos tendência a achar que certas empresas são inalcançáveis e que não nos vão levar a sério. Mas o que é facto é que na altura tínhamos apenas 17 anos, mas graças ao nosso esforço e coragem de “ir bater à porta” de determinados sítios, conseguimos apoios de diversas entidades, o que prova que tudo se consegue desde que não fiquemos de braços cruzados à espera.

Outra lição importante foi ficar a conhecer os vários aspetos da criação de um negócio e isso inclui tanto as partes boas, como ver a ideia que inicialmente visualizamos ganhar forma ou estabelecer parcerias com outras empresas, mas também inclui as partes menos boas, como ouvir críticas ao nosso produto ou ter de aceitar que, simplesmente, havia empresas melhores do que a nossa que mereceram ir à final.

Mas mais do que isso, esse ano serviu para eu crescer muito a nível pessoal: ajudou-me a decidir que curso escolher, fez-me perceber que só consigo alcançar o meu máximo potencial se sair da minha zona de conforto, ensinou-me a lidar com o stress, as responsabilidades e o fracasso, que deve ser sempre visto não como algo mau mas como uma aprendizagem e uma oportunidade para melhorar. Fiz muitas amizades com pessoas de todo o país e conheci responsáveis de várias empresas, o que demonstra a potencialidade incrível de networking que este programa oferece. Acima de tudo, diverti-me muito — e acho que isso é o mais importante!

Hoje em dia faço parte da direção da Junior Achievement Alumni Portugal, a rede de antigos participantes dos programas da Junior Achievement Portugal. Tenho a sorte de poder estar em contacto com jovens empreendedores de todo o mundo e participar em inúmeros eventos a nível internacional, devido à parceria que temos com a Junior Achievement Alumni Europe. Tornei-me numa pessoa muito mais dinâmica, aberta e corajosa, tudo graças à decisão que tomei há dois anos de aceitar o desafio que me foi proposto.

Por isso, a quem tiver a oportunidade de participar num programa da Junior Achievement, aqui fica o meu conselho: arrisquem! Prometo que vai valer a pena.

 

We use cookies to ensure you get the best experience on our website. Find out more here.

I accept cookies from this site